• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

30M: Segundo tsunami pela educação leva 100 mil pessoas às ruas de Fortaleza

Atos aconteceram em mais de 211 cidades dos 26 estados e em mais 9 países

Publicado: 05 Junho, 2019 - 15h07 | Última modificação: 05 Junho, 2019 - 15h57

Escrito por: CUT Ceará e UNE

Thainá Duete/CUT-CE
notice

Assim como no 15 de maio, o segundo "tsunami da educação" levou mais de 100 mil pessoas as ruas de Fortaleza na última quinta-feira (30/5). Eles protestaram mais uma vez contra cortes de verbas para a Educação, anunciados pelo Ministério da Educação (MEC), e contra a reforma da Previdência (PEC 06/2019). Além da capital do Ceará, manifestações foram realizadas em 210 cidades de todo o país. Também foram registrados atos em 9 países.

O ato reuniu professores, estudantes, profissionais liberais, trabalhadores, operários, agricultores, servidores públicos, movimentos sociais, centrais sindicais, sociedade civil e as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. Eles se concentraram em frente à praça da Gentilândia e saíram em marcha pelas principais ruas do Benfica, encerrando o ato na Concha Acústica da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Greve Geral

Segundo o presidente da CUT Ceará, Wil Pereira, as mobilizações de 15 e 30 de maio reforçaram o chamamento para a greve geral da classe trabalhadora contra a retirada de direitos, marcada para o dia 14 de junho. "As mobilizações foram um sucesso em todo o país, e não foi diferente no nosso Ceará. Pela manhã estive em iguatu, por lá 5 mil pessoas foram às ruas contra o desrespeito do governo com a educação pública. No mesmo horário estavam acontecendo atividades em Barbalha, Itapipoca, Quixadá em várias outras cidades do interior cearense. Já na parte da tarde foi a vez de Sobral e Fortaleza, que mais uma vez levou 100 mil para as ruas do Benfica. Sem dúvida essas mobilizações reforçam a o chamamento das Centrais Sindicais para a greve geral do dia 14 de junho. Vamos todos juntos parar o Brasil em defesa da educação e da previdência social."

 

Tsunami

”Fizemos um protesto pacífico, mas muito radical. Somos milhões e vamos derrubar esse reinado do Brasil nas ruas indignados com o desrespeito do governo com a educação e com o povo. Os ‘idiotas’ vão mudar o Brasil”, afirmou a presidenta da UNE Marianna Dias.

Marianna esteve no ato da capital paulista, onde nada menos do que 300 mil pessoas participaram. No resto do Brasil foi igual. Belo Horizonte registrou a presença de 200 mil pessoas, Recife reuniu 100 mil pessoas e Distrito Federal 30 mil manifestantes. Ao todo, foram mais de 1,8 milhão de pessoas nas ruas.

Para a presidenta da UNE, o dia 30 de maio de 2019 entrou para história do nosso país.

”Foi quando estudantes, professores, trabalhadores, pais, enfim, o povo brasileiro voltou às ruas num grande tsunami. Para quem não acreditava, nós estamos aqui. Nós somos milhões. Nós somos rebeldes. Nós somos questionadores”, frisou.