• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Após mobilização dos(as) trabalhadores(as), prefeitura reabre negociação com servidores públicos municipais do Eusébio

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais do Eusébio, entidade filiada à CUT-CE, participou nesta quarta-feira (20/02), de reunião com a prefeitura e conquistou avanços nas negociações

Publicado: 21 Fevereiro, 2013 - 09h57

Escrito por: Camila Carvalho - Assessoria de Comunicação (CUT-CE)

notice

      

A manifestação, realizada na última terça-feira (19/02), às 08:30, na Praça 23 de junho, no Centro do Eusébio, que contou com a presença de diretores da CUT-CE, teve resultados positivos para os servidores municipais. A prefeitura reabriu a negociação com os(as) trabalhadores e, em reunião, se comprometeu a voltar a conceder auxílio-alimentação aos professores a partir deste mês. As demais categorias serão beneficiadas em março.  Também foi concedido o adicional de risco de vida de 40% do salário para os vigias. O SINDEUS lutava pela implantação do benefício desde agosto de 2012 e depois de intensa mobilização de cobrança do poder público, a categoria será beneficiada já em fevereiro.

De acordo com a presidenta do SINDEUS, Ivaneiça Vieira (Mima), a reunião indica início de ano positivo. “Só conseguimos esse encontro porque nos unimos e nos mobilizamos para cobrar do poder público o respeito dos direitos dos(as) trabalhadores(as). Realizamos a manifestação na última terça-feira com o objetivo de retomar as negociações com a prefeitura e conseguimos”, comemora.

As categorias lutam ainda contra o não pagamento de hora extra e as demissões em massa. O reajuste de 6,2% para professores e de 5,9% para demais categorias também deixou os(as) trabalhadores(as) insatisfeitos. O sindicato defende reajuste de 10% para todos(as).

O SINDEUS deve se reunir na próxima semana com todos os servidores em assembleia geral para avaliar os resultados da reunião com a prefeitura. “Vamos apresentar as conquistas e discutir as reivindicações ainda não contempladas e que serão propostas na próxima reunião, que deve acontecer em abril, com o executivo municipal”, esclarece.