• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Ceará: 70 cidades reforçam o dia nacional em defesa dos serviços públicos

CUT e demais centrais sindicais se uniram em defesa das estatais e do serviço público, com manifestações contra as privatizações e contra a proposta de reforma Administrativa de Bolsonaro

Publicado: 30 Setembro, 2020 - 21h30

Escrito por: Redação CUT

Thainá Duete/CUT-CE
notice
Presidente da CUT-CE, WIl Pereira, reforça a mobilização do servidores contra as reformas

A CUT Ceará e demais centrais sindicais realizaram, na manhã desta quarta-feira (30/9), ato simbólico em defesa dos serviços públicos e contra a reforma administrativa (PEC 32/2020) proposta por Jair Bolsonaro (ex-PSL), em frente ao edifício sede dos Correios, no Centro de Fortaleza.

A atividade fez parte da Campanha Nacional em Defesa das Estatais e do Serviço Público, com atos presenciais e virtuais que foram realizados em diversos locais do país. Além de Fortaleza, outros 69 municípios cearenses realizaram ações coordenadas com o objetivo de denunciar os prejuízos que o governo de Jair Bolsonaro causa com seus projetos de privatização de estatais estratégicas para o Brasil e a reforma Administrativa, que ataca servidores e sucateia o serviço público prestado à população.

De acordo com o presidente da CUT Ceará Wil Pereira, a mobilização serviu para denunciar a sociedade o projeto do Governo Federal de desmonte do serviço público e de entrega do patrimônio nacional para a iniciativa privada.

“A estratégia de Bolsonaro, Paulo Guedes e seus amigos está bem definida. Ao invés de se preocupar com a economia e a melhoria da qualidade de vida dos brasileiros, sobretudo dos trabalhadores, eles só pensam em sucatear nossas estatais para vender a preço de banana para os seus amigos. Não podemos deixar que eles repitam o que o FHC fez durante o seu mandato”, disse Wil Pereira, ao reforçar que essas empresas são estratégicas para o desenvolvimento do país.

O dirigente também destacou que a reforma administrativa (PEC 32/2020), que está em tramitação no Congresso Nacional, acaba com a estabilidade dos servidores, diminui os concursos públicos e favorece perseguição política nas repartições públicas.

Thainá Duete/CUT-CEThainá Duete/CUT-CE

“Eles dizem que a reforma é para acabar com os privilégios dos servidores públicos. Mas eles esquecem que cerca de 80% desses trabalhadores são professores, policiais e profissionais da saúde que atendem pelo SUS e estão demonstrando neste momento de pandemia sua total importância para a sociedade. Eles em sua maioria ganham mal, trabalham duro, sofrem com a falta de valorização profissional e agora correm o risco de perder o direito de ter a estabilidade, entre outros absurdos. Ou seja, estão contando outra mentira para convencer o Congresso a votar uma proposta que transformará o serviço público em um balcão de negócios”, complementou o presidente da CUT, ao alertar que a Central Única junto com as entidades que representam os servidores das três esferas manterá campanha permanente em defesa dos serviços públicos e contra as privatizações.

Mobilizações no interior

Cerca de 70 cidades do Ceará realizaram atividades e mobilizações nesta quarta-feira, de acordo com levantamento da Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce). Em Canindé, foi realizada uma tribuna livre na Praça Tomaz Barbosa, em Barreira e Itapipoca, os servidores municipais caminharam pelas principais ruas das cidades para alertar a população sobre os perigos da reforma administrativa. Nos demais municípios, as entidades sindicais também organizaram ações pelas redes sociais, atos virtuais e divulgação de spots informativos com carros de som e colocação de faixas nos espaços públicos.

Thainá Duete/CUT-CEThainá Duete/CUT-CE

Segundo Carmem Santiago, secretária de saúde do trabalhador da CUT Ceará e presidenta em exercício da Fetamce, as mobilizações reforçam que é fundamental integrar os trabalhadores e trabalhadoras do setor público na luta contra todas as medidas que atacam a categoria e promovem a perda de direitos.

“Precisamos reagir. Informar a população e aos servidores o que significa a reforma. A atuação dos sindicatos de municipais nesta luta é essencial para barrar a reforma. Nossa resistência é nossa arma. Diante da Pandemia, estamos com limitações, mas não podemos nos acomodar”, conclui Carmem Santiago.

Veja a lista dos municípios que realizaram atividades neste Dia Nacional de Lutas:

Acarape, Acaraú, Aiuaba, Altaneira, Amontada, Antonina do Norte, Apuiarés, Aquiraz, Arneiroz, Banabuiu, Barbalha, Barreira, Baturité, Beberibe, Brejo Santo, Canindé, Capistrano, Caririaçu, Carnaubal, Cascavel, Caucaia, Cedro, Choró, Chorozinho, Coreaú, Crateús, Crato, Cruz, Deputado Irapuan Pinheiro, Farias Brito, Fortaleza, General Sampaio, Guaiúba, Guaramiranga, Horizonte, Ibaretama, Ibicuitinga, Ipueiras, Iracema, Itapipoca, Jaguaribara, Jardim, Jijoca de Jericoacoara, Madalena, Maracanaú, Massapê, Mauriti, Milhã, Missão Velha, Morada Nova, Mulungu, Nova Russas, Orós, Pentecoste, Piquet Carneiro, Quixadá, Quixelô, Quixeramobim, Saboeiro, São Gonçalo Amarante, Senador Pompeu, Senador Sá, Solonópole, Tamboril, Tarrafas, Tejuçuoca, Tururu, Ubajara e Uruburetama.

Tribuna Livre em Canindé
Atividade em Barreira
Mobilização em Itapipoca