• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Ceará: estudantes fazem protestos por vida, pão, vacina, educação e #ForaBolsonaro

Estudantes protestam contra as ações do Governo Federal no enfrentamento da Covid-19

Publicado: 30 Março, 2021 - 15h50 | Última modificação: 30 Março, 2021 - 16h42

Escrito por: Redação CUT

Italo Cosme/O Povo
notice

Estudantes e representantes da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), União Nacional dos Estudantes (UNE) e Associação Nacional de Pós-graduandos (ANPG) realizaram "faixaço" na manhã desta terça-feira (30/3) na passarela da Avenida Washington Soares, próximo ao Centro de Eventos do Ceará (CEC), em Fortaleza. A atividade intitulada de “vida, pão, vacina e educação” faz parte da Jornada de Lutas da Juventude, que também promoveu protestos em Porto Alegre, Recife, Salvador, Goiânia, Brasília, Belo Horizonte, Cuiabá, São Paulo e Rio de Janeiro.

De acordo Ray Kenner, vice-presidente da UBES, o lema vida, pão, saúde e educação sintetiza as preocupações centrais do povo brasileiro em meio à explosão da pandemia. A luta pela vacinação como preservação da vida, pelo auxílio emergencial e contra a carestia dos alimentos, que aflige principalmente os mais pobres. E também a recuperação do orçamento para as áreas de educação e ciência, que estão nos menores patamares em uma década e que são a saída para a superação da crise sanitária, econômica e social. 

"Vida se refere aos mais de 300 mil mortos pela Covid-19. A questão do pão traz a pauta do auxílio emergencial para famílias no Brasil. E agora a vacina, que é o principal meio para sair desse período horrível de pandemia", afirmou o estudante.

Segundo Jade Beatriz, diretora da Associação Cearense dos Estudantes Secundaristas (Aces), a atividade faz parte da Jornada de lutas da Juventude 21, que foi aprovada em reunião conjunta das diretorias executivas da UNE, UBES e ANPG no último dia 16 de março. "Nós pautamos a importância de se organizar sem aglomerar para não transmitir o vírus de Covid-19. Ao contrário do que Bolsonaro faz quando aglomera e aparece em locais públicos sem máscara. Fazemos ações de maneiras extensivas e sem aglomerar", concluiu Jade Beatriz.

Além da manifestação desta manhã, os estudantes também estiveram na Avenida da Universidade com a Avenida 13 de maio. "Realizamos intervenções com cartazes e cruzes para representar o que o atual Governo Federal está fazendo com a população brasileira", conclui Jade.

Com informações da UNE, Rede Brasil Atual e Jornal O Povo