• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Ceará terá 47 representantes na 16ª Plenária Nacional da CUT

São 43 delegados e delegadas escolhidas de acordo com as forças políticas e ramos CUTistas e quatro delegados natos membros da Direção Nacional da CUT

Publicado: 08 Setembro, 2021 - 13h07 | Última modificação: 08 Setembro, 2021 - 13h47

Escrito por: Redação CUT

Thainá Duete/CUT-CE
notice

A Central Única dos Trabalhadores no Ceará (CUT-CE) encerrou no último dia 27 de agosto a sua 14ª Plenária Estatutária, que ficou marcada pela expressiva participação dos delegados e delegadas sindicais, da mensagem de apoio do ex-presidente Lula e da homenagem aos companheiros Jaqueline Simões e Luís Carlos Macêdo, vítimas da Covid-19 e do descaso do governo federal com a pandemia e a vida da população.

Realizado de forma híbrida, durante dois dias, com a participação de delegados/as e observadores/as tanto presencialmente (respeitando todos os protocolos sanitários) quanto pela plataforma Zoom, o evento promoveu debates e discussões sobre os desafios do sindicalismo CUTista e da classe trabalhadora para os próximos períodos e também definiu a delegação que representará o Ceará na 16ª Plenária Nacional da CUT.

Ao todo foram credenciados 232 delegados e delegadas que representaram todos os ramos da CUT na Plenária. Destes, 203 delegados, sendo 110 homens e 93 mulheres acessaram a plataforma virtual Zoom e participaram ativamente do evento, de acordo com levantamento feito pela Secretaria Geral da CUT Ceará.

"Nós realizamos a 14ª Plenária Estatutária da CUT Ceará numa conjuntura extremamente difícil, não só na questão sanitária, mas também na questão econômica. O maior vírus que o povo brasileiro está enfrentando chama-se Jair Messias Bolsonaro", resumiu o presidente da Central Única dos Trabalhadores no Ceará (CUT-CE), Wil Pereira, ao avaliar a 14ª Plenária Estatutária da central.

Pereira destacou o número de trabalhadores desempregados no país, que supera 13 milhões de pessoas, e os 34 milhões de trabalhadores que atuam na informalidade. "Portanto, essa plenária serviu para fazer uma boa discussão da atual conjuntura, fazer um balanço das ações da CUT e dialogar com os nossos ramos para construir um plano de lutas para que possamos resistir aos retrocessos representados pelo governo federal", frisou.

Thainá DueteThainá Duete

Representação cearense na 16ª Plenária Nacional da CUT

Assim como a 14ª Plenária Estatutária da CUT Ceará, a 16ª Plenária Nacional da CUT também será realizada pela primeira vez em ambiente virtual, nos dias 21, 22, 23 e 24 de outubro de 2021, em virtude da pandemia de covid-19. O estado do Ceará levará 47 delegados e delegadas, sendo 43 escolhidos após a Plenária Estadual e quatro natos, por já representarem o Ceará na Direção Nacional da CUT.

Por 97% dos votos a favor, 1% contrário e 3% de abstenção, os delegados e delegadas da 14ª Plenária Estatutária da CUT Ceará decidiram por autorizar a Direção Executiva da CUT-CE a encaminhar a definição da nominata de 43 delegadas e delegados à 16ª Plenária Nacional da CUT, de acordo com os critérios das forças políticas que a compõem, respeitando a pluralidade, proporcionalidade, a paridade, a solidariedade de classe e a representatividade entre todo os ramos filiados à CUT Ceará.

Votação de resoluções e moções

O ponto alto da 14ª Plenária estatutária da CUT Ceará, a Votação de resoluções e moções, foi coordenado pelo vice-presidente da CUT-CE, Helder Nogueira, e pela secretária de Comunicação, Jizolda Evangelista. Foram aprovadas por 99% dos delegados/as 12 emendas ao texto base da CUT Brasil, com votação em bloco. Também foi aprovada por 99% e 1% de abstenção, as emendas do Coletivo Nacional de Mulheres.

A plenária também deliberou pela aprovação de 18 moções, com temas como: Apoio à educação quilombola no país; Repúdio à MP da Exploração 1045/2021; Apoio aos jornalistas do Ceará pelo desrespeito às negociações coletivas pelas empresas de Comunicação; Pela Liberdade de Cátedra e em solidariedade ao professor José Carlos de Vasconcelos, Apoio aos trabalhadores da segurança pública; Repúdio à entrega dos hospitais municipais às OS; Em defesa dos povos indígenas; Em defesa do piso e em respeito aos profissionais do magistério; Apoio ao PL 2564/2020 do Piso Nacional da Enfermagem; Apoio ao PL 3829/2009 da Especificidade dos Condutores de Ambulância; Apoio à luta pela valorização dos agentes comunitários de saúde e de endemias; Repúdio ao ataque à liberdade e à organização sindical em Canindé; Apoio à promoção e à proteção de todos os trabalhadores no contexto da pandemia; Apuração e punição dos culpados pela morte do trabalhador da Feira da José Avelino; Solidariedade e apoio aos trabalhadores haitianos; Solidariedade à família da comerciária Carol Rocha; Solidariedade à família e reconhecimento à luta do trabalhador Lourenço, de Acopiara.

38 anos da CUT

A 14ª Plenária Estatutária encerrou com os parabéns à CUT, pelos 38 anos, em ritmo do autêntico forró pé de serra, com zabumba, triângulo e sanfona.

“Nesses 38 anos, criamos a CUT para intervir de forma contundente na conjuntura nacional, com leis e propostas. Nossa luta nunca foi só sindical. É por uma sociedade mais justa e igualitária”, resumiu a dirigente da CUT Brasil, Graça Costa, ao parabenizar a CUT-CE pelas importantes deliberações aprovadas e pelo aniversário da Central.