• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT Ceará cobra reposição salarial dos servidores municipais de Fortaleza

Servidores municipais estão há quase seis meses negociando o reajuste anual, que é um direito assegurado pela Constituição Federal

Publicado: 09 Junho, 2021 - 15h43 | Última modificação: 10 Junho, 2021 - 09h04

Escrito por: Redação CUT

notice

A Central Única dos Trabalhadores no Ceará (CUT-CE) vem a público reafirmar apoio e solidariedade aos servidores municipais de Fortaleza que estão desde o início da gestão do prefeito José Sarto (PDT) sofrendo com a política de desmonte do serviço público que, a nível federal, é fomentada pelo presidente Jair Bolsonaro (ex-PSL) e, nos municípios, amplamente reproduzida com a desculpa que é preciso cortar gastos.

Sob este olhar perverso e com direito a muita truculência contra os trabalhadores que se manifestaram pela manutenção dos seus direitos durante os atos que foram convocados pela CUT, Sindifort, Sindiute, Fetamce e demais entidades sindicais que representam os servidores municipais, a Câmara Municipal aprovou em abril o projeto de lei complementar nº 26/2021, que trata da reforma da Previdência apresentada pela Prefeitura de Fortaleza.

É preciso destacar que todo este processo se deu com pouco ou nenhum diálogo com a gestão municipal, que conseguiu aprovar a reforma em tempo recorde, sem avaliar que a retirada de direitos históricos e redução de salários em meio a uma pandemia seria uma medida extremamente covarde com os servidores que já sofrem há anos com a falta de reposição de perdas financeiras provocadas pela inflação.

Além disso, os servidores municipais estão há quase seis meses negociando o reajuste anual, que é um direito assegurado pela Constituição Federal. A pauta de lutas da campanha salarial da categoria inclui a reposição da inflação de 4,52%, a reestruturação dos Planos de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS), a correção do vale-alimentação, a ampliação da margem consignável dos servidores, atualização dos anuênios e pagamentos dos atrasados, dentre outras reivindicações.

Os servidores não podem mais esperar, a cada dia que passa o custo de vida fica ainda mais caro. Sem a reposição da inflação, com perdas salariais e com o aumento da alíquota previdenciária, o trabalhador e trabalhadora do sistema público municipal ficam em uma situação muito difícil e reféns de endividamentos gerados por empréstimos consignados.

Portanto, a CUT Ceará defende que as negociações sejam retomadas pessoalmente pelo prefeito José Sarto (PDT), em caráter de urgência. Consideramos que essa é uma forma de garantir a celeridade do processo, evitando o prolongamento do impasse. O diálogo é questão central na estratégia da CUT e deve ser preservado para se avançar nas conquistas.

Pela valorização dos trabalhadores em educação e todos os servidores municipais, por melhores condições de trabalho e por vacina para todos e todas sem consignação, a CUT-CE reafirma sua solidariedade aos trabalhadores e trabalhadoras do serviço público de Fortaleza.

 

Negocia, Sarto!

 

Somos fortes, somos CUT!

 

Direção-Executiva da CUT-CE

Fortaleza, 09 de junho de 2021