• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Fetraece completa 55 anos de lutas e conquistas para a Agricultura Familiar

Políticas públicas conquistadas por meio da luta organizada da classe trabalhadora fortalecem agricultura familiar e são destaque nas mais de cinco décadas de história da Federação no Ceará

Publicado: 19 Setembro, 2018 - 14h41 | Última modificação: 19 Setembro, 2018 - 15h35

Escrito por: Fetraece (*)

notice

Nesta quarta-feira, 19 de setembro de 2018, a Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares no Estado do Ceará (Fetraece) completa 55 anos de existência. Instituição sindical de 2º grau, a entidade vem lutando para possibilitar conquistas e, consequentemente, melhorias para a categoria de agricultores e agricultoras familiares.

“Tenho muito orgulho de ser presidente de uma instituição com o histórico de luta da Fetraece, que tem buscado constantemente o fortalecimento da agricultura familiar. Entidade essa que superou até mesmo a intervenção de um Regime Militar, que chegou a destituir e prender nosso primeiro presidente, Vicente Pompeu. Reafirmamos nosso compromisso de luta em defesa dos agricultores e agricultoras familiares”, afirma o atual presidente da entidade, Raimundo Martins.

 

Oliane Silva PintoOliane Silva Pinto
11ª edição da Feceaf em Fortaleza, em julho de 2018: CUT-CE é parceira da Fetraece na realização da maior feira da agricultura familiar do estado


Lançamento do caderno especial dos 55 anos

"A CUT, como maior central de organização sindical da América Latina, orgulha-se de ter o ramo dos agricultores familiares como uma de suas principais bases. No Ceará, essa aproximação acontece desde o início dos anos 1990. A CUT caminha de mãos dadas com a Fetraece, fortalecendo a pauta dos agricultores. Na prática, essa relação ocorre nas pautas de negociação com o Governo, dentro dos processos de mobilização, no apoio dos sindicatos filiados".

A fala acima é do presidente da CUT no Ceará, Wil Pereira, em entrevista ao Jornal O Povo, que lançou um caderno especial hoje, também em comemoração ao aniversário da Fetraece. A publicação narra parte da história dos 55 anos da entidade, destacando principalmente políticas públicas conquistadas por meio da luta organizada da classe trabalhadora. ACESSE E LEIA AQUI o caderno especial na íntegra.

 

Estrutura e história

Com sede em Fortaleza, a Fetraece é formada atualmente por uma Direção Executiva com Presidência e Vice-presidência, além das seguintes Secretarias: Geral, Finanças, Formação, Organização Sindical e Comunicação, Políticas Agrícolas;, Políticas Agrárias e Meio Ambiente, Mulheres Rurais, Políticas Sociais, e Jovens Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais.

A Fetraece conta também com sete Regionais (Cariri, Centro Sul/Vale do Salgado, Crateús/Inhamuns, Grande Fortaleza, Norte, Vale do Curu/Baixo Acaraú e Vale do Jaguaribe), que atendem os 183 sindicatos filiados e os mais de 1 milhão e 200 mil agricultores e agricultoras familiares cearenses. Atualmente a Federação conta com 183 sindicatos filiados. A exceção é Fortaleza, que em virtude da expansão urbana não possui mais zona rural para os órgãos oficiais. A Federação integra o sistema da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) e é filiada na Central Única dos Trabalhadores (CUT).

No decorrer de sua jornada, a Fetraece também enfrentou com garra e determinação a mancha na história brasileira chamada de Regime Militar. Assim como diversas outras instituições de mobilização sindical, a Federação passou por intervenção e vários companheiros foram presos, logo após o Golpe Civil e Militar em 1964, como aponta o relatório da Comissão Nacional da Verdade: LEIA AQUI.

Saiba mais sobre a história da Fetraece CLICANDO AQUI.

LEIA AQUI a publicação lançada pela Fetraece, em parceria com a Universidade Federal do Ceará (UFC), à época em que a Federação completou 50 anos.


Presidentes da FETRAECE:

Vicente Pompeu de Souza (1963-1964)

José Rodrigues de Araújo (1964-1967 – Presidente Interventor)

Otávio Ferreira Gomes (1967-1970)

Levi Baltazar (1970-1973)

Joaquim Daniel (1973 – 1ª Junta Interventora)

José Laurindo dos Santos (1974 – 2ª Junta Interventora)

João de Sales Pinheiro (1974-1977)

João Felismino (1977-1980)

Eurico Francisco de Souza (1980-1983)

Eurico Francisco de Souza (1983-1986)

José Amadeu de Araújo ( 1986-1989)

Antônio Ulda Urbano (1990-1992)

Francisco Miguel de Lucena (1992-1995)

Antônio Soares Guimarães (1995-1998)

Francisco Miguel de Lucena (1998-2001)

Antônio Soares Guimarães (2001-2005)

Moisés Braz Ricardo (2006-2009)

Moisés Braz Ricardo (2010-2013)

Luiz Carlos Ribeiro de Lima (2014-2017)

Raimundo Martins Pereira (2015-dias atuais)


(*) Com informações da CUT-CE