• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Fortaleza: Marcha dos Excluídos será realizada na Serrinha, no dia 7 de setembro

A concentração será na Praça da Cruz Grande, a partir das 15h. Atos estão confirmados em outras seis cidades cearenses e estão sendo organizados pela CUT, centrais sindicais e movimentos sociais

Publicado: 03 Setembro, 2021 - 13h45 | Última modificação: 03 Setembro, 2021 - 14h00

Escrito por: Redação CUT

notice

No dia 7 de setembro, próxima terça-feira, os cearenses vão ocupar as ruas em mobilizações por participação popular, saúde, comida, moradia, trabalho, renda e Fora Bolsonaro. A “Marcha dos Excluídos” está sendo convocada pelas Frentes Brasil Popular e Povo sem Medo, Fórum Sindical, Popular e de Juventudes de Luta pelos Direitos e pelas Liberdades Democráticas e demais entidades que compõem a campanha Fora Bolsonaro no Ceará. Em Fortaleza, a atividade será realizada na Praça da Cruz Grande, na Serrinha, a partir das 15h. Também já estão confirmados atos no interior do estado, em municípios como Crato, Guaraciaba do Norte, Limoeiro do Norte, Tianguá, Maracanaú e Maranguape, e em diversas cidades do país.

Na programação da atividade de Fortaleza, haverá um ato ecumênico às 15h na Praça da Cruz Grande. O momento também terá um ato de solidariedade, com a entrega simbólica de cestas básicas às lideranças da comunidade da Serrinha. A marcha sairá às 16h em direção à Praça do Delta, que fica nas proximidades do terminal de passageiros da Parangaba. Estão previstas paradas em locais estratégicos onde serão entoadas mensagens referentes à fome, à carestia, ao aumento da conta de luz e do gás, à soberania, à democracia e contra as privatizações que têm avançado no governo Bolsonaro.

De acordo com o presidente da CUT Ceará, Wil Pereira, a maioria da população está indignada com a forma que o país está sendo conduzido pelo presidente Jair Bolsonaro (ex-PSL), por isso voltará às ruas no dia 7 de setembro para pressionar o governo por melhores condições de vida, emprego e renda. “O desastroso governo de Bolsonaro tem como resultado o crescimento do desemprego, da inflação, da carestia e dos altos preços dos combustíveis, isso sem falar no negacionismo durante a gestão da crise sanitária. Todos esses fatores empurram cada vez mais os trabalhadores para uma situação de pobreza e fome. É por isso que voltaremos às ruas para dizer basta”, afirmou o dirigente, ao destacar que o Brasil precisa voltar a crescer com democracia, distribuição de renda e justiça social.

Fora Bolsonaro

O ‘7S’ é a quinta grande manifestação que ocorre neste ano contra o governo de Jair Bolsonaro. Protestos já foram realizados nos dias 29 de maio, 19 de junho, 3 de julho e 18 de agosto, data em que houve paralisação dos servidores públicos contra a reforma administrativa (PEC 32/2020), que visa destruir o serviço público.

“Estamos diante de ameaças à democracia do país, de um projeto de desmonte do serviço público, da privatização das empresas públicas e do ataque aos direitos sociais, e não iremos nos calar”, ressalta o Prof. Bruno Rocha, presidente da ADUFC-Sindicato e docente do Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular da UFC.

Cuidados

Para participar da Marcha dos Excluídos no 7S, é fundamental adotar medidas sanitárias como o uso de máscara, preferencialmente PFF2, e de álcool gel 70%, além da garantia do distanciamento social. O dia 7 de setembro é mais uma oportunidade de defender a democracia e os direitos sociais e gritar Fora Bolsonaro, já!

Grito dos Excluídos terá atividade online e vigílias em solidariedade às vítimas de Covid-19

Também está agendada para o dia 7 a tradicional manifestação do Grito dos Excluídos, que ocorre sempre nesta data em todo o país. Pelo segundo ano consecutivo, o evento será virtual. Com o tema “Vida em primeiro lugar”, a 27ª edição do Grito dos Excluídos traz o tema “Na luta por participação popular, saúde, comida, moradia, trabalho e renda, já”. O ato virtual será transmitido a partir das 9h no YouTube e no Facebook da Arquidiocese de Fortaleza.

Anteriormente ao dia 7/9, ocorrem atividades isoladas, compondo a agenda do pré-Grito, em bairros de Fortaleza, com vigílias em solidariedade aos mais de 580 mil mortos por Covid-19 no Brasil e também como forma de denunciar a condução da pandemia por parte do Governo Federal, que negligenciou e atrasou a compra de vacinas, além de se envolver em escândalos de corrupção nos contratos de aquisição dos imunizantes. O Grito dos Excluídos é uma organização conjunta de diferentes entidades, incluindo paróquias, movimentos populares e sindicais, comunidades e organizações da sociedade civil para denunciar a exclusão e as desigualdades sociais.

 

Cidades com atos presenciais confirmados para o dia 7/9*:

 

Crato – Praça São Vicente – caminhada até o Alto da Penha | 8h

Fortaleza – Praça da Cruz Grande (Serrinha) | 15h

Guaraciaba do Norte – Praça do Guaracy | 8h (Café com Democracia)

Limoeiro do Norte – Rodoviária de Limoeiro do Norte | 7h

Maracanaú – Praça da Estação | 8h

Maranguape – R. Maranguape esquina com João Chimelo, Flamingo | 9h

Tianguá – Bairro Terra Prometida | 8h

 

*Até as 12h de quinta-feira (2 de setembro)

Com informações da campanha Fora Bolsonaro e do Sindicato ADUFC