• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Greve geral: 100 mil pessoas em defesa da aposentadoria em Fortaleza

Segundo o presidente da CUT Ceará, Wil Pereira, foram registrados atos políticos e paralisações em mais de 60 cidades

Publicado: 16 Junho, 2019 - 10h47

Escrito por: CUT Ceará

Tarcísio Aquino/CUT-CE
notice
Trabalhadores lotam a Praça do Ferreira, em Fortaleza

Em Fortaleza e em mais de 60 cidades cearenses, trabalhadores e trabalhadoras, estudantes e movimentos sociais protestam contra a reforma da Previdência (PEC 06/2019) de Jair Bolsonaro (PSL) desde as primeiras horas da manhã desta sexta-feira (14/6), dia da greve geral em defesa da aposentadoria, por mais empregos e contra os cortes na educação. Na capital do Ceará, 100 mi foram às ruas e, em todo o Brasil, aproximadamente 45 milhões participaram de atos políticos e paralisações, segundo balanço divulgado pelas centrais sindicais.

Puxada pelas Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, a "Marcha dos Trabalhadores" teve concentração na Praça da Bandeira. Os manifestantes seguiram em caminhada pelas ruas do Centro até a Praça do Ferreira, durante o percurso, comerciários baixaram as portas de lojas, quiosques, farmácias e lanchonetes. O comércio fechou e outros setores como o de transporte complementar de vans, ônibus urbanos, serviço público, construção civil, escolas, universidades e bancos também foram atingidos pela greve em Fortaleza.

No começo da manhã, motoristas e cobradores de vans de transporte alternativo cruzaram os braços, os ônibus pararam e fecharam cruzamentos no Centro e no Benfica. Também desde as primeiras horas do dia, mais de três mil trabalhadores rurais e agricultores familiares se concentraram na Praça do Otávio Bonfim, no bairro Farias Brito, e em seguida, se juntaram a passeata realizada no Centro.

Tarcísio AquinoTarcísio Aquino

Interior do Estado

Segundo o presidente da CUT Ceará, Wil Pereira, foram registrados atos políticos e paralisações em mais de 60 cidades. No começo da manhã, o dirigente participou de ato organizado pelos trabalhadores do Porto do Pecém, em São Gonçalo do Amarante, e reforçou a importância das manifestações da classe trabalhadora em defesa da aposentadoria. 

Tarcísio AquinoTarcísio Aquino

"Assim como nas mobilizações de 15 e 30 de maio, o 14 de junho foi fundamental para dizer em alto e bom tom que os trabalhadores e trabalhadoras não aceitam a reforma da Previdência proposta por Jair Bolsonaro e, muito menos, cortes na educação e ataques a soberania nacional. Hoje o Brasil parou e vai parar quantas vezes for necessário para que o governo entenda o recado das ruas". Assista fala do presidente transmitida ao vivo pela CUT Brasil.

Em Canindé e Madalena, trechos da BR 020 foram trancados. No município de barro um trecho da BR 116 também foi interditado pelos manifestantes. Já em Quiterianópolis, o MST ocupou uma área da mineradora Globest no Ceará. O local foi ocupado por cerca de 150 famílias de comunidades atingidas pela mineradora na região da serra do Besouro. Em Limoeiro do Norte, estudantes e servidores públicos saíram em caminhada pelas ruas e também ocuparam uma agência da Caixa Econômica Federal. Mais de 700 agências bancárias paralisaram as atividades em todo o Estado, segundo levantamento do Sindicato dos Bancários do Ceará. As paralisações contaram com a participação de 10 mil bancários. Os professores da Rede Estadual também cruzaram os braços em todos os municípios, de acordo com informações do Sindicato Apeoc. Os protestos também receberam adesão dos servidores municipais e dos servidores federais, segundo a Fetamce e o SINTSEF.

Confira abaixo as cidades onde ocorreram manifestações:

 

Município

Local de Concentração

Horário

Acaraú

Praça do Centenário. Caminhada pelo Centro até a Rodoviária

8h

Acopiara

Praça da Matriz

8h

Altaneira

Calçadão

9h

Aquiraz

Rodoviária

7h30

Aracati

Praça dos Prazeres

7h

Barreira

Praça dos Taxistas

8h30

Barroquinha

Em frente à Prefeitura

7h30

Baturité

Praça Santa Luzia

8h

Beberibe

Câmara dos Vereadores

8h

Brejo Santo

EEM José Matias Sampaio

8h

Canindé

Posto Estrela

7h

Camocim

Concentração no IFCE

8h

Cascavel

Praça de São Francisco

8h

Caucaia

Praça da Matriz

8h

Chaval

Escola Monsenhor José Carneiro

7h30

Chorozinho

Praça da Escola Padre Enemias

9h

Crateús

Praça da Matriz

7h

Fortaleza

Praça da Bandeira

10h30

Fortim

Praça São Pedro

7h

Horizonte

Estádio Domingão

7h

Icapuí

Escola Gabriel

7h30

Icó

Sede do Sindicato dos Servidores Municipais

8h30

Iguatu

Praça da Caixa Econômica Federal

8h

Ipu

Praça da Iracema

8h

Ipueiras

Praça da Igreja Matriz

8h

Iracema

Praça Casimiro Costa Moraes (Mangueira)

7h

Itaiçaba

Escola Dulcinea Gomes Diniz

7h

Itapipoca

Praça do Cafita

8h

Jaguaribara

Escola Estadual Liceu

7h

Jaguaribe

Em frente ao salão paroquial

7h30

Jaguaruana

Praça da Prefeitura

7h

Juazeiro do Norte

CREDE (Rua São Pedro com Rua Rui Barbosa)

8h

Jucás

Praça Getúlio Vargas

8h

Limoeiro do Norte

INSS (Ao lado da Honda)

8h

Madalena

STTR

8h

Maracanaú

Praça da Estação de Maracanaú

8h

Milagres

Praça 7 de Setembro

8h

Milhã

Sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais

8h30

Monsenhor Tabosa

Sindicato dos Servidores Públicos

8h

Morada Nova

Praça da Matriz

8h

Nova Olinda

Praça Escola Pe. Luis Filgueiras

7h

Nova Russas

Praça da Macavi

8h

Pacujá

Sede do Sindicato dos Servidores Municipais

8h

Paracuru

Sede Sindicato APEOC

8h

Penaforte

Praça Querubina Bringel

8h

Pereiro

Praça da Matriz

7h30

Quixadá

Praça da Catedral

8h

Russas

Secretaria da Saúde

7h30

São Benedito

Concentração na praça do Índio

8h

São Gonçalo do Amarante

Praça da igreja Matriz

8h

Senador Pompeu

Praça da Juventude

8h

Sobral

Praça de Cuba

8h

Solonópole

Alto Vistoso

17h40

Tabuleiro do Norte

Igreja Matriz

8h

Tauá

EEM Liceu Lili Feitosa

 8h

Tianguá

Praça da igreja Matriz

8h

Trairi

SISPUMT

8h

Assista abaixo trechos da Marcha dos Trabalhadores, em Fortaleza:

Vídeo 1

Vídeo 2

Vídeo 3