• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Municipais de Canindé completam 10 dias de greve contra retirada de direitos

Cerca de 350 servidores públicos de Canindé seguem com mobilizações diárias

Publicado: 15 Abril, 2021 - 12h12

Escrito por: Fetamce

Fetamce
notice

Cerca de 350 servidores públicos de Canindé seguem com mobilizações diárias desde que foi deflagrada a greve em 05 de abril de 2021. O motivo se deu pela decisão da prefeita Rozario Ximenes (DEM), de retirar alguns direitos da categoria, como adicional por Tempo de Serviço (ATS) e a ascensão dos professores. Insalubridade dos servidores da saúde (40%) e gratificação por trabalho de campo (GTC), também são direitos que a categoria não abre mão.

“Nós demos todo o tempo para negociação, tentamos diversas vezes, mas fomos ignorados pelo poder municipal, por isso a greve foi a única saída que tivemos para fazer valer nossos direitos”, explica a presidenta do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Canindé (Sindsec), Regina Lemos.

Rozario chegou a receber os servidores dia 09 de fevereiro, mas não aceitou nenhuma proposta colocada na mesa. A prefeita ainda entrou na justiça solicitando a suspensão do movimento alegando irregularidades, porém a justiça negou o pedido, após sindicato garantir que o serviço público permanece com 30% da categoria em serviço.

LIMINAR SUSPENDE REFORMA DA PREVIDÊNCIA

O Sindicado dos Servidores Públicos de Canindé conseguiu uma liminar que suspendeu a reforma da previdência municipal de Canindé, aprovada no dia 12 de fevereiro pela Câmara dos Vereadores, que não aceitou nenhuma sugestão proposta pelo sindicato e retirou direitos da categoria. A reforma entraria em vigor dia 1º de maio, mas segue suspensa por decisão temporária da justiça.