• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Seminário discute feminicídio e enfrentamento à violência contra a mulher

O encontro reuniu 150 mulheres no auditório da Fetrace, em Fortaleza

Publicado: 29 Julho, 2019 - 16h36 | Última modificação: 29 Julho, 2019 - 16h57

Escrito por: Redação CUT

notice

A Central Única dos Trabalhadores no Ceará (CUT-CE) em parceria com a Escola de Formação da CUT no Nordeste realizou, nesta segunda-feira (29/7), o Seminário Estadual da Mulher Trabalhadora. Com o tema “Feminicídio e o enfrentamento à violência contra a mulher: Somos Todas Margaridas!”, o encontro reuniu cerca de 150 mulheres representantes de todos os ramos da CUT no estado e de movimentos sociais, no auditório da Federação dos Trabalhadores, Empregados e Empregadas no Comercio e Serviços no Estado do Ceará (Fetrace), em Fortaleza.

O seminário foi aberto pelo presidente da CUT Ceará, Wil Pereira, que destacou a importância de se fortalecer a participação das mulheres nas direções sindicais e em todas as instâncias da sociedade. “Precisamos fazer com que os nossos companheiros dos sindicatos, das federações e das centrais sindicais, compreendam cada vez mais a importância de se valorizar a participação das mulheres nas direções das entidades e, sobretudo, compreender a necessidade de ser combater a violência contra a mulher, seja ela em casa, no trabalho, psicológica ou física.”

O debate foi tema da primeira mesa redonda do encontro, que contou com a participação de Darciane Barreto, coordenadora da Casa da Mulher Brasileira, Greice Lopes, coordenadora do Centro de Referência da Mulher (CRM), Rose Marques, advogada e integrante do Fórum Cearense de Mulheres e Izabel Dantas, coordenadora estadual de políticas para as mulheres.

Segundo Lúcia Silveira, coordenadora da Escola de Formação da CUT no Nordeste, o debate sobre o enfrentamento à violência contra a mulher precisar ser contínuo e constante. “Estamos apoiando e orientando todas as CUTs do Nordeste para que façam este debate em seus estados e fortaleçam os Coletivos Estaduais da Mulher Trabalhadora.”

Marcha das Margaridas

O Seminário também debateu sobre as principais pautas da Marcha das Margaridas 2019. Com o tema: “Margaridas na Luta por um Brasil com soberania popular, democracia, justiça, igualdade e livre de violência”, a Marcha acontecerá nos dias 13 e14 de agosto de 2019, em Brasília/DF. De acordo com Ozaneide de Paula, secretária da Mulher Trabalhadora da CUT-CE, trabalhadoras do campo e da cidade de todas as regiões do Ceará se preparam para se juntar as mais de 100 mil mulheres que estarão na capital federal para propor políticas públicas que melhor atendam as agricultoras familiares e reivindicar o fim do racismo e da violência contra as mulheres. “Este seminário serviu pra aprofundar o debate sobre o enfrentamento à violência contra a mulher e fortalecer a preparação da delegação cearense que participará da Marcha das Margaridas. Tenho certeza que após mais essa Marcha, voltaremos as nossas bases empoderadas e com mais coragem para continuar nossa luta por uma sociedade mais justa, democrática, igualitária e que garanta os direitos da classe trabalhadora, em especial das nossas companheiras.”

Sobre a Marcha das Margaridas

A Marcha das Margaridas é uma ampla ação estratégica das mulheres do campo, da floresta e das águas para conquistar visibilidade, reconhecimento social, político e cidadania plena. A Marcha se constrói a partir de amplo processo formativo, de debate, ação política e mobilização, desenvolvido pelas mulheres desde suas comunidades, municípios e estados, até chegar às ruas da capital do País.

Coordenada pela Confederação Nacional de Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares (CONTAG), suas 27 Federações e mais de 4 mil Sindicatos filiados, a Marcha das Margaridas se constrói em parceria com os movimentos feministas e de mulheres trabalhadoras, centrais sindicais e organizações internacionais.

 

Veja as fotos no Facebook da CUT Ceará